Friday, September 23, 2011

Kiko Motóca

Há algum tempo atrás o pai de um anjo, que não está mais entre nós, disse-nos que gastou muito tempo falando de história sobre vocês. Mas, para ser honesto, eu nunca prestei muita atenção. Então, como ele era muito cabeça dura, me fez conhecer a todos vocês, um por um.
Ser abraçado e beijado por vocês, como se fosse o próprio filho. Vestindo aquelas roupas de couro e aqueles capacetes coloridos, vocês pareciam realmente durões ... Mas, uma vez que as viseiras fumês eram levantadas, vocês tinham olhos bonitos, limpos e cheios de lágrimas. . . olhos onde você poderia se perder neles, chegar em suas almas e ver quão puras elas são.
Tirando suas roupas de couro, você veria que eles cresceram como crianças, nada mais que isso... Eles gostam da vida, carnes, cerveja e "tira gosto" e ainda procuram pela mãe, quando as coisas dão errado... Tem gente que diz que quando montamos em nossas motos, anjos e demônios vão conosco!
Pode ser até verdade, é um tipo de dualismo que faz esse estilo de vida ser tão rico em emoções, que fazem seu coração bater mais rápido, parecendo que vai sair pelo peito a qualquer momento. Demônios fazem você andar em irracionais e violentas aceleradas, na hora que a adrenalina corre direto para seu cérebro e você fica tremendo por vários minutos.
Anjos carregam com eles a face a as vozes de quem não está mais conosco; vozes da experiência por vezes forjada em ossos quebrados. Sim é verdade que você pode morrer pilotando uma moto. Isso pode acontecer com qualquer um de nós. Isso machuca, REALMENTE MACHUCA. Mas nada se compara à quantidade de vida que torna isso em lembranças fantásticas, em "flashes" que duram uma eternidade de risadas, aquelas risadas altas e profundas que vêm do coração, tão altas que fazem o sol brilhar num dia nublado. . . Converse com qualquer um de nós, peça-nos para dizer sobre uma história de nossos últimos passeios ou alguma curva da estrada de sua montanha preferida, e você se perderá naqueles olhos sorridentes, naquele sorriso natural que gradualmente se espalha pelo rosto inteiro.
Converse com qualquer um de nós, pergunte como a vida seria se algum dia tivéssemos de desistir de nossa paixão e tudo que você irá escutar é o som do silêncio. . . você verá que aquele rosto sorridente do "garoto" ficará vazio... como um pássaro com a asa quebrada... E se você não entendeu nada até agora, não se preocupe, você nunca entenderá!
Mas se um dia você estiver na estrada, com sua família indo para a praia, na segurança de seu carro, e UM DE NÓS passar vagarosamente pelo seu carro, você verá seu filho, sentado no banco de trás, de repente virar a cabeça, acenando e cumprimentando empolgado... Não tente entender seu filho também. Seu filho, com toda sua inocência, vê em nós uma centelha de algo que você nunca reparou!
E o motociclista acenará também. Não há nada de errado e você sabe que... Anjos, na terra, se cumprimentam!

Saturday, September 11, 2010

Bah...vai dizer que tem coisa mais chata que um casal brigando na mesa do lado. Porra, quer brigar vai pra casa de um dos dois e discute, bate boca, xinga, conversa, sei lá...mas essa mania de escolher um "campo neutro" é foda. Pior ainda quando é numa mesa de shopping. Esses dias tive que ir ao shopping, como era perto do horário da janta (e gordo sempre sabe a hora da janta) fiz o que tinha pra fazer e aproveitei pra jantar. Peguei minha bandeja e fui sentar em uma das 1000 mesas vazias que tinha. Eis que 2 minutos depois senta na mesa ao lado da minha um casal (detalhe: outras 998 mesas continuavam vazias). Daí começa aquele zumzum...hsuhshdnijdhushs amor...ijsuhvbbcrfhbcdhbdxhdd canalha...bdubssbsebdspedokd não dá mais...Na real não dá pra entender nada e, te digo, nem queria entender, mas não dá pra deixar de ouvir o soluço quando a menina começa a chorar. Que situação! O que eu acho mais chato é a exposição. Brigar todo mundo briga. Por favor levanta a mão quem nunca teve uma briga com a(o) namorada(o), mas precisa mostrar pra todo mundo que tu não tá tendo o dia mais agradável do mundo?!?!?! Pelo horário e pelo modo de como as coisas iam deu pra notar que aquele choro, digo, aquele papo ia longe. Fiz de conta que meu celular tocou, fiz de conta que atendi alguém conhecido, olhei ao redor, fiz de conta que conhecia alguém, ergui o braço e abanei pra algum ninguém do outro lado de lá das mesas, sorri como se tivesse encontrado alguém que não via a muito tempo, levantei, peguei minha bandeja e troquei de mesa. Bem do outro lado. Problema resolvido, pelo menos o meu sim.

Tuesday, August 31, 2010

31 de agosto de 2010. Exatos 19 anos. Muita saudade. Meu pai sempre foi um cara muito próximo de mim. Mesmo a separação dos meus pais não fez com que ele se afastasse da gente. Acho que não deu mais certo entre eles, sei lá, é um lance deles e só deles. Não deu mais, tudo bem. Mas meu pai continuava vindo na minha casa e principalmente convivendo comigo e com meus irmãos. Só não dormia mais em casa. No começo eu era piá e não entendia muito bem as coisas, depois com mais alguns anos fui entendendo e achando du caralho o respeito que tiveram pelos filhos. Mas hoje o papo é outro. Em 30 de agosto de 1991 meu pai deixou este mundo e foi embora pro outro. De lá deve ter continuado acompanhando, ou não, a vida aqui. Hoje faz 19 anos, mas parece que foi ontem, parece que chovia. Viveu 59 anos e podia ter vivido mais, bah se podia...Se fosse hoje teria 78 anos e podia muito bem estar aqui entre nós. Mas não tá. Durante a vida outros pais vão pintando no caminho...o pai de um amigo aqui, um irmão mais velho ali, um sogro (ex-sogro) bacana, um chefe legal e assim vai. Esses dias uma amigona e um amigão meu também perderam o pai. Não pude ir no enterro, mas fui na missa de sétimo dia. Na hora do abraço ouvi as palavras amargas "tu sabe bem o que é passar por isso". Não deu pra segurar, choramos juntos. Muita coisa volta na memória. Parece que foi ontem.

Monday, August 30, 2010

Quase que já não tenho mais paciência para fios...A bateria do meu notebook não presta mais e ele só funciona com um fio ligado na luz. Meu celular quase ficou sem bateria e também tenho que usar ele ligado por um fio na luz. Pelo menos um dos fios que me prendem hoje é o cabo de internet, que deu uma mão e resolveu funcionar. Trabalhar sem internet fica complicado. Maldito costume. A gente acaba se acostumando (e eu, pessoa ortodoxa, mais ainda) com essas facilidades do mundo virtual e daí quando não tem a rotina acaba ficando quebrada, vai saber...
Dos males o menor, seguindo um pouco a viagem, nesse momento enquanto escrevo isso aqui tem alguém no mundo que sustenta sua vida por meio de fios. Ainda assim questiono se tem alguma coisa boa nisso. Eu não teria paciência.

Monday, April 26, 2010



Tu vai entender. Só tu, tenho certeza. Existe quem não acredite em sorte ou azar. Tem também os que não acreditam em destino. Tem até os que não acreditam em milagres, mas também não é o caso e nem é pra tanto. Agora me diz uma coisa, e se tivesse aparecido um time em São Paulo? E se antes de entrar pra faculdade eu tivesse aceitado a proposta e ido embora pra Portugal? Não fui e não fui, tive medo e fiquei. Mas continuo perguntando, e se tu não tivesse ouvido a fita? Até aí tudo bem, ouviu, mas se não tivesse ido atrás de um pouco mais? Fala sério, que grande bobagem eu fiz...e se tu não tivesse perdoado? Meu Deus, não quero nem pensar nisso...
Acontece que nada nessa vida é e acontece por acaso. Tudo tem lógica e, lógico, tudo faz sentido. Tenho que acreditar em sorte sim, porque tiver a sorte de te conhecer. Tenho que acreditar em destino sim, porque só ele explica o lance da fita. E tenho que acreditar em milagre sim, porque só Ele explica o lance do perdão. Os três numa frase: Eu tive a sorte de encontrar um anjo no meu caminho.

É isso.
Beijo.

Friday, October 23, 2009

sol

O sol nasce todos os dias. Esse blog não. Mas, de vez em quando, é atualizado nem que seja pra eu lembrar como é que se faz isso.

É isso.
Beijo.

Thursday, November 25, 2004

Pois é...depois de um tempo estou aqui de volta pra contar sobre a última viagem de Wonkavision. Tínhamos dois shows marcados, um no Rio de Janeiro (festa Loud) e outro em Campinas/SP (Mondo77).
Antes disso porém, fui até São Paulo. A Grazi já estava por lá porque tinha ido assistir ao tal TIM Festival. Dias legais em Sampa. Encontrei amigos, me diverti e descansei um pouco da vida daqui. Fui também no show do Ludov, muito massa.
Bom, show no Rio de Janeiro, Teatro Odisséia, Festa Loud. Só pra variar um pouco o show no Rio de Janeiro tava du caralho !!! eu gosto muito do Rio de Janeiro e tocar lá até hoje é sempre bom. Não lembro de nenhum show no Rio que a gente não tenha curtido. Na outra festa Loud ou quando abrimos pros Los Hermanos ou na Casa Matriz...sei lá, sempre foram bons os shows. E desta vez não foi diferente.
No Mondo77 já era a segunda vez que estavamos tocando. Na primeira foi meio estranho e tal, mas acabamos por agradar quem estava assistindo. Tem até um post aqui por baixo já falando sobre esse show. Pois bem, nessa segunda vez também foi muito bom. A casa tava cheia e o show foi bom. Tecnicamente não foi dos melhores, mas isso foi que fez a coisa ficar mais divertida ainda. Não sei o que aconteceu, mas talvez por já conhecermos o lugar a banda toda estava se sentindo bem, estávamos nos sentindo em casa...Como uma das exigências do bar é que a banda não tocasse em São Paulo capital 5 dias nem antes nem depois do show, a galera da capital veio com força total para o show de Campinas. Isso deu um toque todo especial no show, porque tínhamos a certeza de que muitas das pessoas que estavam ali gostavam e admiravam o trabalho da Wonkavision. Isso faz bem. Com certeza não decepcionamos e foi tudo lindo.
Resumo de tudo: 2 shows um melhor que o outro...melhor assim.

É isso.
Beijo.